POBREZA MENSTRUAL: O TABU VIVENCIADO POR MILHÕES DE MULHERES

Autor(es): Bernardo Grasselli, Dyuliane Comiotto, Dimitri Kulbiej, Isadora Omine, Kayo Stumpf
Orientador(es): Cláudia Remus,
Quantidade de visualizações: 2156

POBREZA MENSTRUAL: O TABU VIVENCIADO POR MILHÕES DE MULHERES
Quando é analisada a porcentagem aterrorizante de mulheres que não possui acesso à higiene pessoal considerada básica por muitos, pode-se contemplar o quanto a desigualdade social implica na sociedade contemporânea. A falta de saneamento básico e recursos julgados indispensáveis para se ter qualidade de vida são só alguns dos empecilhos que estão presentes na vida de milhares de mulheres, não apenas no Brasil, mas no mundo inteiro. Como consequência da baixa renda e, muitas vezes, pobreza extrema, recorrem a subterfúgios que possam substituir a falta de absorventes, utilizando pedaços de roupas velhas, miolos de pão e muitas vezes jornais. A aplicação destes e outros utensílios não indicados, pode resultar em sérias consequências para a saúde de quem faz uso, como graves inflamações na região íntima e infecções que, se não tratadas imediatamente, poderão se agravar. Portanto, é fundamental evidenciar esse tipo de situação, para que, assim, as autoridades possam interferir e não deixar algo tão intolerável se tornar comum.     

Palavras-chave: Higiene pessoal, desigualdade social e subterfúgios.